Jul 13, 2011

#14

Oii gente! Eu prometi a mim mesma não ficar nervosa ou ansiosa, mas esse é um daqueles momentos em que a gente tenta segurar e não consegue... Quinta passada entreguei meus documentos, e acredito que na próxima semana eu já fico ON. Tô sentindo que vai ser na quarta feira, dia 20, e se for, vai ser meu melhor presente de aniversário \o/

Eu tinha prometido a mim mesma só postar quando ficasse online, mas quem disse que eu consigo? Me sinto super relapsa em não vir aqui, hahahah. Mas em novidades auperianas, eu ando bem fraca mesmo... Segunda dei o submit no app, e acho que essa semana eles ligam nas referências, tomara que dê tudo certo!

"Meu" host tinha sumido... eu mandei um email pra ele há algumas semanas com o link do meu vídeo e ele não respondeu, daí mandei um ontem só pra desencargo de consciência, pra contar que tinha entregue tudo, e ele respondeu! Daí antes de dormir mandei outro e hoje de manhã já tive resposta, ele disse pra marcarmos um dia pra conversarmos no skype... descobriram da onde vem esse nervosismo? Eu mantive a calma durante os dois meses que já se foram, conversar por email era tranquilo, mas skype, eu sempre quis isso, e agora tô com "vergonha" e não sei pra quando marcar... help!

Essa noite eu pensei muito sobre o programa (pra variar) e percebi quais são meus objetivos na terrinha do tio sam: claro que não é meu sonho ser babá. Mas é meu sonho ir pros states, e se a única forma que eu tenho de ir é por meio do au pair, que assim seja!

Eu comecei a fazer inglês com 10 anos de idade, assim, entrei na escola, mas já sabia algumas coisas porque desde os 4 jogava no pc (doom, quake, tomb raider... só joguinhos lights, nada violentos, hahahah) e como eram em inglês, eu já sabia o que significavam os termos usados lá. Daí fiz inglês durante 2 anos e meio, foi lá que eu aprendi regrinhas chatas, verbo to be e simple present. Foi lá também que eu conheci Friends, e até meus 18 anos, eu estudava por conta própria: imprimia a tradução de uma música e lia ouvindo a própria, e associava as palavras em inglês-português (oh linkin park que me ajudou, viu?), assistia MUITO seriado e a warner às vezes dava pau e a legenda sumia, hora de praticar! Sempre fui de ver filme legendado, então fui criando o hábito de melhorar o listening. Coisinhas "bobas", mas que ajudaram demais.

Com 12 anos eu fui no casamento de uma prima minha, e tinha um casal de americanos lá, eu que os guiei pela festa inteira, conversei com eles o tempo todo, claro que um inglês super rebuscado, mas a gente conseguiu se comunicar. Eles me convidaram pra passar uma temporada na casa deles, quem sabe quando eu chegar eu mando uma mensagem dizendo que estou lá, né?

Daí com 18 eu voltei pro cursinho, mas só fiz seis meses: os melhores meses da vida, era só eu e a professora, e a gente deixava o livro de lado, porque eu já sabia as regrinhas, ficávamos duas horas conversando só em inglês, eu contando do meu dia, ela me contando da época que morou nos EUA. Durante esses anos tbm tive inglês na escola, mas era aquela coisa né? Nem servia pra muito...

Então, depois desse livro aí, meu objetivo primordial é: aperfeiçoar o inglês. É perder a vergonha que eu tenho de falar na frente dos outros, é tentar não gaguejar muito e aprender a conjugar os verbos direitinho.

Segundo objetivo é me desapegar. De tudo. Pessoas, lugares, bens materiais e principalmente, memórias. Eu sinto que só indo pra bem longe vou conseguir fechar alguns buracos que ainda restam em mim, infelizmente.

E terceiro e último: viver meu sonho. Acordar todo dia e pensar "meu Deus, eu estou aqui." Porquê só Ele sabe quantas milhões de vezes eu acordei na minha cama de um sonho bom, e me decepcionei ao ver que eu estava no mesmo lugar... Não é que eu não tenha futuro aqui, é só que eu não quero, não faço questão de ter. E eu não quero viver a vida toda pensando que eu poderia ter ido além.

Desculpem pelo post mais desabafo que tudo, mas eu precisava escrever isso... Talvez, daqui uns anos, eu venha a ler esse post de novo e perceba que agora sim, eu sou feliz!

10 comments:

  1. Oi Larissa.

    Nem vou dizer pra vc relaxar porque eu sei que nao é fácil...eu tbm tava me controlando até semana passada,mas aí fui entregar uma parte dos documentos e fiz o teste de inglês, e na hora do teste fiquei mais nervosa do que imaginava...consegui falar, mas não gostei do 5 , eu sei que eu posso mais...
    e desde então, a ansiedade começou a aumentar, agora um "Not the right match" do GAP tá doendo muito mais q antes =S

    Me identifiquei com seu post porque tbm tenho como objetivo perder a vergonha q tenho, e que me limita a falar inglês sem medo de errar...

    Mas se Deus quiser a gente vai conseguir!!


    Boa sorte na conversa pelo skype, acho que é melhor vc marcar logo, porque ajuda a diminuir a ansiedade...
    além disso, tente ficar calma, porque vc já é privilegiada por já ter um match, tenha confiança q tudo vai dar certo!!

    Bjos

    ReplyDelete
  2. Menina, até parace que fui eu que escrevi o seu post. Hhehe. O meu caso é o mesmo que o seu. Meu inglês já é fluente. Entrei na escola de inglês aos 11 anos e na turma dos sábados, ou seja, a turma dos adultos. Por 3,5 anos meus coleguinhas de sala tinham trinta e poucos anos de idade. O curso serviu para aprender a gramática em si, porque não importa quão sensacional seu curso seja, o vocabulário sempre é pobre. Então parti para as músicas, filmes e séries de TV. Sim, Friends foi uma grande aliado pra mim. Atualmente assisto a serie totalmente sem legenda. E quem me levou a dizer aos 11 anos 'mãe, eu preciso aprender inglês' foi uma mocinha chamada Celine Dion. Hhehe. Eu PRECISAVA entender o que ela dizia. Em 1998 eu ainda não tinha internet, então comprei os CDs dela e um dicionário de ingles e fui traduzido as músicas aos poucos. Claro que muita coisa não tinha nem pé nem cabeça, mas aprendi muitas palavras isoladas. Atualmente eu pratico o Snail Mailing - trocar cartas (sim, pelos correios mesmo) com pessoas de outras nacionalidades pra treinar minha escrita. Há 2 anos escrevo cartas para 'amigos a distância'.

    E meu foco de ir pros EUA são exatamente iguais ao seu: treinar meu inglês in loco; desapegar e conhecer os EUA que sempre foi um sonho. Também quero me descobrir, me conhecer mais, ser mais independente e também viajar, se eu conseguir juntar dinheiro.

    E quanto às vacinas, você sabe quais são as exigidas? Porque mesmo tendo a carteirinha, eu acho que não tomei todas. Hhehe.

    Beijos!

    ReplyDelete
  3. Olhaa quando eu entreguei meu app eu tava tranquilérrima, o que me deixa nervosa é todo dia entrar no email e ver que não tem nenhuma familia ...
    MAs tudo tem sua hora, ansiedade só nos atrapalha, portanto, aguenta coração, fé que o mehor está por vir, e virá, na hora certa...
    Se joga no skype e seja vc mesma, o que for pra ser seerá!
    bjs

    ReplyDelete
  4. This comment has been removed by the author.

    ReplyDelete
  5. Cara, parece que foi eu q escrevi esse post! kkkk
    Não na parte do inglês... infelismente meu ingles não deve ser tao bom como o seu... mas na parte dos objetivos. São exatamente os meus (ainda mais qndo vc fala do 'buraco' para fechar).

    É incrível como a gnt acha q só a gnt pensa de um jeito, que parece estranho nos sentirmos meio deslocadas aqui e as vezes qndo as pessoas dizem q estamos fazendo uma loucura a gnt até para pra pensar se eles estão certos ou não.

    Eu não sei se é por causa dos obstáculos q to tendo mas a cada dia minha vontade de ir cresce mais. Acho q nunca me perdoaria se desistisse e ficasse a vida toda pensando em como teria sido.

    Boa sorte na sua conversa no Skype! Pelo visto vc vai se sair muito bem e daqui uns dias tá embarcando. =^.^=

    Beijos

    ReplyDelete
  6. a sua felicidade nunca esteve tão perto de ti como está agora, né, meu amor. a realização, a alegria em abrir os olhinhos e estar finalmente aonde tu sempre quis estar..

    coisa boa é ver tu fazendo tudo isso, mexendo, resolvendo e fazendo acontecer. tu me enche de orgulho, viu? a cada dia que passa, mais e mais.
    torço por ti a cada segundinho, mandando energias positivas pra que dê tudo certo, do jeitinho que tu merece.

    te amo, meu amor. te amo DEMAIS.
    muita, muita, muita sorte na conversa do skype <3

    ReplyDelete
  7. Larissa...
    Menina nervosismo e ansiedade é normal.. RELAX!
    Eu falei uma unica vez por telefone com a minha host, e quero nem ver como vai ser quando eu chegar lá, quinta que vem!! rsss!!! por isso entendo essa sua insegurança para falar via Skype, pois falar via email é super tranquilo! rs!

    Bjs

    ReplyDelete
  8. Acho que só vou poder ler e comentar decentemente amanhã. >.<"

    Mas, eu não podia deixar de comentar o ícone da Hello Kitty ali como Favicon!! kkkkkkkkkkkkkkkkkk... você é "impossível, Lari". xDDDDDDDDDDD s2

    ReplyDelete
  9. Nem tem como não ficar ansiosa, né? Boa sorte!

    Quanto ao Inglês, ir atrás (ouvir música, assistir séries sem legenda, achar gente pra praticar) é o melhor jeito mesmo. Foi assim que eu aprendi e hoje sou professora.

    Bjinhos!!!

    ReplyDelete
  10. Nossa Lari, acho que esse ai é o sonho de toda au pair, ter o inglês fluente, desapegar de pessoas, coisas e sentimentos, e claro, viver um sonho americano. Por isso que eu sempre digo, au pairs tem sempre VÁRIIIAS coisas em comum, por isso nos damos tão bem. E eu te entendo completamente, ninguém merece viver a VIDA TODA num só lugar, temos mesmo é que viver a vida e abusaaaarr dela, viver tudo oq se pode viver, não temos 15 mil pra fazer intercambio de patyss, vaaamos mesmo é trabalhar, sempre tem um jeito pra quem luta, e é esse o nosso jeito, e com certeza vamos aproveitar BASTANTEEE!!! Tô contigoooo gata! bjoooo

    ReplyDelete